O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, foi eleito para um quarto mandato em eleições feitas no ano passado. Sua posse estava marcada para hoje, dia 9 de janeiro, mas ele está internado em Cuba, onde foi retirar um câncer.

Qual é a questão?
A Constituição do país diz que o presidente tem de estar presente na posse para que assuma o poder do país. Os chavistas dizem que nesse caso isso não vale porque Chávez já é o presidente. Os opositores dizem que, como é um mandato novo, ele tem de ir receber o cargo pessoalmente.

Como está sendo resolvida?
Ontem, a Assembleia do país aceitou a argumento do governo e adiou a posse. Para os opositores isso é ilegal.

O que vai acontecer agora?
O Supremo Tribunal da Venezuela vai decidir a questão, dizendo se a posse pode ser adiada ou não. Como a maior parte dos juízes é chavista, eles provavelmente serão favoráveis ao governo e confirmarão o adiamento.

Estão todos satisfeitos?
Não. A oposição já mostrou que vai brigar pela questão. Eles querem que seja declarada a ausência do presidente. Se isso acontecer, o presidente da Assembleia assume a presidência e ele terá de declarar novas eleições caso Chávez não assuma o cargo depois de um certo prazo. Nem sobre esse prazo há acordo. Alguns dizem que é de 30 dias, outros, de 180.

E eu com isso?
A Venezuela é um país importante no nosso continente. Além de ser um dos maiores exportadores mundiais de petróleo, é um país amigo do Brasil. Oficialmente, nosso país declarou que espera que a questão seja resolvida internamente. Nós, inclusive, passamos por uma situação parecida quando o presidente eleito (por voto indireto), Tancredo Neves, morreu antes de assumir o cargo. Havia quem fosse a favor do vice assumir, outros que pediam convocação de novas eleições. Acabou assumindo o vice José Sarney, que cumpriu todo o mandato.

Saiba mais:
– Infográfico da Folha