(Imagem: Reprodução)

Ouvi dizer que um padre foi excomungado por defender os gays? É verdade?
Em parte. O padre católico Padre Roberto Francisco Daniel, de Bauru, foi excomungado pela Diocese de Bauru porque deu declarações que vão contra as orientações da Igreja – ele defendeu a Igreja terá de reconhecer que as pessoas de mesmo sexo têm direito a se relacionarMas não foi só isso que causou sua excomunhão. Ele também atacava o conservadorismo da Igreja abertamente e tinha atitudes que não eram bem-vistas (como usar camisetas de bandas de rock, do Che Guevara, e usar piercings). 

O pessoal da Igreja confirmou isso? Que ele foi mandado embora porque falou a favor dos gays?
A Igreja diz que o padre não estava obedecendo aos seus superiores e foi por isso que foi excomungado. Mas ela pediu que o padre retirasse da internet os vídeos em que defende o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

O que quer dizer que ele foi excomungado?
Quer dizer que ele não pode participar de missa, casar, ser batizado, se confessar ou exercer qualquer uma das funções de padre. Ele só pode voltar a frequentar a Igreja, mesmo sem ser na função de padre, se demonstrar arrependimento pelo que ele fez.

Ele não pode entrar na Justiça ou algo assim? Afinal de contas, todo mundo tem liberdade de expressão!
Não pode. A Justiça não pode interferir nos processos internos da Igreja Católica. Só poderia haver alguma ação se o padre sofresse discriminação de algum tipo. Claro que o padre tem a liberdade de fazer e dizer o que quiser. Mas a partir do momento em que ele decide ser padre, ele tem de seguir as regras da Igreja se quiser continuar a fazer parte dela. 

Quem mais já foi excomungado? Ele é o primeiro do Brasil?
Não, claro que não. Em 2009, no Recife, um médico e a sua equipe foram excomungados pelo arcebispo de Olinda e Recife porque fizeram aborto numa menina de 9 anos que estava grávida de gêmeos. O médico disse que havia risco de morte da garota, mas o padre não quis saber. 

E tem aquela do Leonardo Boff, né? Ele também?
Ele passou perto, mas não foi. Em 1984 ele quase foi excomungado porque defendia a Teologia da Libertação (uma visão que mistura o catolicismo a ideologias de esquerda). Só que em 1992 ele resolveu abandonar a batina e virar teólogo. Ironicamente, o atual papa Francisco (lembra do texto sobre ele?) também era adepto dessa teologia. E agora o cara manda na Igreja!

Saiba mais:
Folha
Folha 2
Estadão
Britannica (em inglês)