(Foto: Reprodução)

Está uma confusão essa história do bolsa-família. O que aconteceu?
Ainda não ficou muito claro que aconteceu exatamente, mas o que sabemos é: boatos se espalharam de que o governo ia suspender ou acabar com o programa Bolsa-Família. Um monte de gente acreditou na história e correu para as agências da Caixa Econômica Federal para sacar o benefício, com medo de ficar sem.

Era mentira mesmo?
Era. O governo correu para dizer que tudo não se passou de um boato.

E se era tudo boato, porque teve gente que quebrou caixa eletrônico?
Porque conforme as pessoas iam sacando o dinheiro, os caixas começavam a ficar sem cédulas. Como isso tudo aconteceu no fim de semana, acho que não deu tempo de os bancos reabastecerem as máquinas. O pessoal deve ter ficado desesperado, com medo de não ter mais o dinheiro do Bolsa-Família. 

Como começou essa onda de boatos?
Ainda não se sabe exatamente se alguém específico foi responsável, mas parece que foi pela internet que a mentira se espalhou. Eu tentei achar algum site ou blog que postou o boato, mas não achei nada.

Vi muita gente comentando no Facebook e nos sites de notícias que o Bolsa-Família está criando uma geração de pessoas que não quer saber de trabalhar e só quer viver de benefícios do governo. Não era bom que cancelassem isso tudo logo de uma vez?
Bom, deve ser sim verdade que existem pessoas que se acomodam e não vão procurar emprego porque recebem benefícios. Mas não sei se esse argumento é muito convincente. Para começar ganhar o Bolsa-Família, a renda de cada pessoa de uma família tem que ser menor que R$ 140 – existem várias faixas dentro do programa e vários requisitos para receber o dinheiro. Ou seja, contando todo o dinheiro que entra e dividindo esse valor pelo número de pessoas que mora numa casa, cada um tem que receber menos que R$ 140. Além disso, o máximo que a família como um todo pode receber é R$ 306

Mas e a história de que cada filho que a família tem, ela ganha mais?
Sim, isso é verdade. Mas repito: o máximo que essa família vai conseguir ganhar, não importa quantos filhos tiver, é R$ 306.

E quem prova que esse povo não fica feliz ganhando só isso?
Números. Em dez anos de programa, mais de 10% das famílias que podiam receber o Bolsa-Família, declarou que não precisava mais do benefício. E veja bem: voluntariamente. Não tem nada a ver com renovação de cadastro. Esses 10% (mais de um milhão e seiscentas mil famílias) abriram mão de receber esse dinheiro.

Poxa, mas não é muito fácil ganhar esse dinheiro assim, na mamata?
Pense bem: como é que uma família na qual cada pessoa não consegue ganhar R$ 140 por mês está na mamata? É bem pouco dinheiro. Outra coisa: existem condições para que o benefício seja dado. As crianças têm que estar na escola e comparecer a, no mínimo, 75% das aulas, estar com a carteirinha de vacinação em dia, entre outras exigências. 

Saiba mais:
Site da Caixa Econômica Federal
Fundação Getúlio Vargas
Folha
UOL