Manifestante usa casaco com capuz em protesto contra a absolvição de George Zimmerman (Foto: Shankbone/Wikimedia Commons)

Quem é Zimmerman?
É o George Zimmerman, um vigia comunitário americano que foi processado por matar Trayvin Martin, um adolescente negro desarmado. A história aconteceu na Flórida, nos EUA, em 26 de fevereiro de 2012.

Certo. E o que isso tem a ver com os protestos que estão acontecendo nos EUA?
É o seguinte: o Zimmerman foi absolvido (no dia 13 de julho) porque o júri considerou que ele atirou em Martin em autodefesa. Muita gente não engoliu esse sentença e foi protestar.

Mas por que estão desconfiando da sentença?
São vários os motivos. Primeiro, porque o rapaz estava desarmado. Como o Zimmerman podia se defender de alguém que estava desarmado? Outra coisa que dizem é que foi um caso de racismo. O vigia desconfiou do jovem porque ele é negro e estava vestindo um capuz.

E o que aconteceu?
O que o George Zimmerman disse no julgamento que atirou no garoto depois que ele o derrubou no chão, golpeou-o e bateu sua cabeça na calçada várias vezes, disse o New York Times (link em inglês).

Será que ele estava mesmo desarmado?
O julgamento mostrou que ele só tinha em mãos um pacote de balas e uma garrafa de refrigerante. Esses dois objetos e a blusa com capuz viraram símbolos nas mãos dos protestantes.

Tem uma coisa estranha nessa história: o cara, o Zimmerman, era policial?
Não, ele era um vigilante comunitário.

Então como tinha uma arma, cara? Ele não podia ser preso por porte ilegal?
Se fosse no Brasil, talvez. Mas você precisa lembrar que nos EUA, o porte de arma é um direito constitucional e, teoricamente, acessível a qualquer um.

Tá, o julgamento pode até ter sido injusto, mas por que tanta gente foi protestar?
No dia 20 de julho (sábado), foram mais de 100 cidades americanas em protesto. Quem protesta contra a sentença, que inocentou o Zimmerman, argumenta que esse foi um caso de “racial profiling”. Em inglês, isso quer dizer algo como “estereotipação racial”. O Zimmerman teria perseguido o Martin só porque ele era negro, jovem e estava de capuz. Olhou para ele e deduziu, sem razão, que era um criminoso.

Saiba mais:
New York Times: Zimmerman é inocentado (em inglês)
The Guardian: Lei de autodefesa pode ser revista (em inglês)
G1: Protestos voltam às ruas dos EUA
Livescience: Direito ao porte de arma nos EUA (em inglês)