Coluna publicada na revista Galileu de janeiro de 2014. 

Em 10 dezembro, a Comissão Municipal da Verdade de São Paulo divulgou um relatório que diz que Juscelino Kubitschek foi morto pela ditadura militar. Pela versão oficial, o ex-presidente morrera num acidente na Rodovia Dutra em agosto de 1976, mas a comissão reuniu depoimentos que provariam que JK foi alvo de um complô.

A recente revisão histórica não ficou só com JK e inclui outras mortes misteriosas, como a do também ex-presidente João Goulart, o Jango, deposto no Golpe de 1964 e morto em dezembro de 1976, na Argentina. A Comissão Nacional da Verdade pediu a exumação de seu corpo para investigar se ele foi envenenado a mando da ditadura. No começo de dezembro, seus restos mortais foram enterrados novamente, dessa vez com honrarias de chefe de estado.

Carlos Lacerda, ex-governador do extinto estado da Guanabara, também pode ter sido vítima de um complô. Inicialmente apoiador do Golpe, ele se voltou contra o regime e morreu em 1977 misteriosamente: foi internado para cuidar de uma gripe e contraiu uma infecção no coração.

Os três estariam se articulando para promover a volta da democracia. Sabe-se hoje que eram vigiados pelo Serviço Nacional de Informações (SNI) e que o governo brasileiro recebia fundos da Operação Condor, aliança das ditaduras da América do Sul contra seus opositores.

O jornalista Vladimir Herzog é outra vítima famosa dos militares. Detido pelo DOI-CODI (órgão de inteligência do exército) em São Paulo, ele foi encontrado morto em outubro de 1975, sob a alegação de suicídio. Mas na foto em que mostrava o jornalista morto era possível ver que ele não poderia ter se enforcado numa cela com um teto tão baixo. Em março de 2013, o Tribunal de Justiça de São Paulo atendeu a um pedido da Comissão Nacional da Verdade e emitiu novo atestado de óbito, em que sua morte é atribuída a “lesões e maus-tratos durante o interrogatório”.

DIOGO ANTONIO RODRIGUEZ é jornalista, cientista social e autor do blog Me Explica?, onde destrincha atualidades e notícias, www.meexplica.com

Um comentário

  1. Izabela

    Triste legado da nossa história, que não me culpo em atribuir aos estados unidos, que como sempre destroem os lares alheios para próprio benefício, e sempre de forma desumana.