Vladimir Putin, presidente da Rússia (Foto: Wikimedia Commons)

As coisas mudaram bastante desde a semana passada, não é? Teve um referendo na Crimeia?
Sim, teve! Ontem o povo da Crimeia foi às urnas para votar no referendo convocado pelo parlamento local. Eles decidiram se queriam fazer parte da Rússia ou não.

E qual foi o resultado?
O “sim” ganhou, com 95% dos votos.

Então agora a coisa se resolveu, não é? O povo disse o que quer e está tudo certo.
Não exatamente. Esse referendo não é reconhecido pela Ucrânia, pelos Estados Unidos nem pela União Europeia.

Por que não?
Porque a Crimeia é uma parte da Ucrânia e o país não admite que uma região sua simplesmente abandone o barco para se juntar à Rússia. É como se um estado do Brasil resolvesse fazer a mesma coisa para se juntar à Argentina.

Eles vão fazer alguma coisa? 
Já estão fazendo. O Reino Unido, por exemplo, suspendeu as importações de armas para a Rússia. Provavelmente, mais países tentarão convencer Putin a mudar de ideia com sanções econômicas.

E a Rússia, o que disse?
A Rússia reconheceu a independência da Crimeia, claro. E está tentando negociar uma saída com os EUA para que a Ucrânia não tente retomar a região à força.

Saiba mais:
Folha: Putin reconhece independência da Crimeia
UOL: Reino Unido suspende importações de armas para a Rússia
Folha: Putin afirma que Crimeia sempre foi parte da Rússia
Estadão: EUA anunciam sanções contra cidadãos russos