O que é esse tal de “volume morto” do Sistema Cantareira?
É uma água que fica abaixo dos canos de captação que normalmente são usados para mandar água das represas para as estações de tratamento e, depois, para a nossa casa.

Porque chama “volume morto”? Baita nome feio.
Feio mesmo. Chamam de “morto” porque, teoricamente, ele não seria usado. Mas como a seca está prolongada em São Paulo e não temos alternativa para o abastecimento de água, o governo do Estado resolveu usá-lo.

Vão usar como?
Foram instaladas bombas que vão mandar a água do volume morto para as estações de tratamento que já recebem a água do sistema.

Ouvi dizer que essa água é suja. É verdade? 
O governo de São Paulo diz que não há risco nenhum. Especialistas dizem que essa água é de má qualidade porque acumula sujeira e substâncias tóxicas. Fato é que ela será tratada antes de chegar às torneiras.

E isso vai resolver o problema?
Não. Essa última reserva só deve durar até o fim do ano. O governo do Estado diz que até novembro, que é quando as chuvas devem recomeçar. Mas a Agência Nacional das Águas, órgão do governo federal, diz que a água pode acabar antes se a estiagem continuar em São Paulo.

E se não chover e a água acabar? 
Também não sei o que pode acontecer. Já se falou em obras para captar água do Rio Paraíba do Sul, mas o estado do Rio de Janeiro não gostou nada dessa história: o estado fluminense é abastecido por esse rio e está com medo de ficar sem água.

Saiba mais:
UOL: Entenda o volume morto
UOL: Governo de SP faz manobra inédita para usar volume morto
Folha: Volume morto pode acabar antes de novembro
Forum: Especialista alerta para riscos da água
Folha: Infográfico sobre o crise da água em SP