Esse post é uma parceria entre o Me Explica? e a Data4Good (www.data4good.com.br): “um movimento que acredita que o acesso à informação, sua compreensão e disseminação são fundamentais para resolver problemas de interesse público, apoiando e encorajando consciência social e mudanças para o bem”. Os infográficos foram feitos por eles e o Me Explica? participou da apuração das informações Até o primeiro turno das eleições 2014, publicaremos outros infográficos e textos explicando os principais pontos do que o cidadão precisa saber antes de tomar a sua decisão mais importante: em quem vai votar. 

quociente1 quociente2

O que é quociente eleitoral?

É o número mínimo de votos que um partido político (ou uma coligação) precisa ter para eleger um representante. No caso dessa eleição de agora, ele vale para deputados estaduais e federais.

Como ele é calculado?

O número total de votos válidos (brancos e nulos não entram nessa conta) é dividido pelo número de vagas disponíveis. Esse é o quociente eleitoral. Calculado esse número, é necessário calcular o chamado quociente partidário, que vai dizer quantas vagas cada partido (ou coligação) terá. Para descobrir quantas vagas cada um terá, divide-se o número de votos que cada partido teve pelo número obtido no quociente eleitoral. No caso dos deputados federais, o cálculo é feito de acordo com o número de vagas que cada estado possui (o total é 513).

É verdade que um candidato pode ser eleito mesmo se ele tiver poucos votos?

Verdade. Pode acontecer o seguinte: Um candidato de um partido recebe muitos votos. Tantos votos que ele se elege e ainda gera quociente para que outros cinco candidatos entrem com ele, mesmo que esses cinco tenham, por exemplo, 200 votos. Isso aconteceu nas eleições para deputado federal de 2002 em São Paulo. Enéas Carneiro recebeu 1,55 milhão de votos. Por isso, seu partido teve direito a levar mais cinco deputados. O quociente partidário era 285 mil. Um dos eleitos, Vanderlei Assis, obteve apenas 275 votos.

E um candidato que foi bem-votado pode não ser eleito porque chega nesse quociente?

Também pode acontecer. Digamos que um partido tenha poucos candidatos. E um de seus candidatos receba muitos votos. Mas só esse candidato. Se o partido dele não atingir o quociente partidário, ele não será eleito. É por isso que os partidos têm muitos candidatos, para que consigam juntar o maior número de votos possível, desse jeito, conseguem mais vagas na Câmara e nas Assembleias.

 

Saiba mais:
– Candidato a deputado mais votado nem sempre é eleito (TSE)
– Regras deixam mais votados de fora (Terra)
– Confira ‘puxadores’ de votos que ajudaram a eleger outros candidatos (G1, sobre a eleição de 2010)

2 comentários