(Foto: Creative Commons)

Quem responde: Lino Gil, economista*

Por que o valor do dólar está aumentando tanto desde o ano passado? Tem alguma coisa a ver com a Petrobrás? Com a eleição? Ou com a crise da água?

Uma variável tão complexa como o câmbio não pode ser explicada por somente um acontecimento mas é claro que o principal é a mudança da percepção internacional do Brasil (em todos os aspectos – políticos, econômicos, sociais). O processo de deterioração econômica que o Brasil vem sofrendo e a desorganização política alteram o fluxo de investimentos e negócios no país. E por causa disso, há uma pressão na valorização do dólar e desvalorização do real.

O que faz o preço do dólar subir ou descer? Quem decide isso?

A variação das moedas ao redor do mundo é uma consequência do fluxo internacional de negócios. Basicamente uma representação da oferta (a quantidade de dólares à venda) e demanda (quantas pessoas ou empresas desejam comprar a moeda) das trocas no mercado. O estado tenta influenciar a cotação do câmbio através de intervenções do Banco Central. Mas no final das contas, quem define são as pessoas e empresas de forma voluntária através do mercado.

Quem perde com a alta do dólar? Quem ganha?

No lado do consumidor, praticamente tudo é impactado pela variação cambial.  Ou seja, é mais uma variável que deteriorará o poder de compra do real de forma sistemática. No lado da produção, setores exportadores se beneficiarão da alta do dólar, pois produzem no Brasil (tem os custos em reais) e recebem pagamentos em dólares. Já os setores importadores sentirão um impacto negativo, pois dependem de insumos (bens de capital, por exemplo) importados. Como bens de capital (bens ou serviços que produzem outros bens: máquinas, equipamentos, ferramentas, fábricas) são em geral comprados fora do país, o impacto será grande ao ponto de diminuir muito os investimentos no segmento industrial. Somado ao aumento da carga tributária, alta de juros, e crise de abastecimento de água e energia, a industria brasileira sofrerá bastante.

Nossa moeda é o real. Por que o valor do dólar é importante para nós?

O câmbio afeta, direta ou indiretamente, inúmeras variáveis econômicas e produtivas. Como o dólar é a moeda internacional atualmente, sua cotação tem grande importância para o Brasil e para brasileiros. O câmbio tem grande importância na definição e tomada de decisões locais como taxas de juros, no custo de oportunidade dos investimentos, preço dos bens de capital e diversas outras partes da estrutura de produção do país.

Por que o dólar, que é a moeda do EUA, é tão importante no mundo todo? Por que não é o euro? Ou o peso da Argentina?

Porque os EUA são o país mais poderoso do mundo economicamente. Para entender o porquê disso, é preciso entender um pouco da história das finanças internacionais. Antigamente, as moedas eram parecidas com notas promissórias. Ao receber uma nota de, digamos, cinco reais, isso queria dizer que o governo devia a você cinco moedas de ouro. Esse metal era o padrão universal de valor. Por isso, se dizia que a moeda de um país tinha um “lastro”. Lastrear uma moeda significa utilizar algo para criar um valor intrínseco (interno) ao papel que representa aquela moeda. Até a Primeira Guerra Mundial, o comércio internacional se baseava no padrão-ouro. O câmbio era definido em relação a uma quantidade específica de ouro. Devido à importância dos Estados Unidos no pós-guerra, convencionou-se que a nova política seria algo similar à adotada durante o padrão-ouro, mas agora com uma taxa de câmbio fixa, baseada em uma moeda forte. Ou seja, o dólar americano seria lastreado e conversível pelo ouro, e as outras moedas seriam baseadas no dólar. Após 1971, o lastro das moedas passou a ser a confiança na gestão do estado. Por isso, as moedas atualmente são chamadas de moedas fiduciárias (fidúcia – do latim de “fidere”, que significa confiança). A partir dali, o Fundo Monetário Internacional (FMI), administraria o sistema de pagamentos internacional e determinaria as cotações das moedas de outros países frente ao dólar americano. O que a maioria das pessoas não sabem é que desde 1971 o dólar americano não é mais lastreado nem conversível por ouro. Portanto a contínua importância do dólar no mundo é um reflexo da capacidade produtiva e monetária dos EUA.

Quando o dólar sobe necessariamente a bolsa de valores cai?

Há uma correlação muito forte entre o Ibovespa e dólar porque o mercado de ações brasileiro é muito dependente dos investidores internacionais (representam aproximadamente 50% do volume das negociações).

Eu deveria tentar comprar dólares para ficar rico quando ele sobe?

A definição de “riqueza” é singular para cada pessoa e esta decisão de comprar dólares ou não depende totalmente desta reflexão e análise. Em geral, a diversificação é uma característica essencial na construção de riqueza. Diversificação de objetivos, de ativos, de moedas, de jurisdições são importantes para as pessoas que tem como objetivo a saúde financeira. Ter uma diversificação internacional em uma moeda mais forte que o real é interessante pois ajuda na preservação do poder de compra, diversifica os meios de pagamento, ajuda no consumo ao redor do mundo, dá acesso a outros tipos de investimentos.

 *Lino Gil é planejador financeiro na DXI Consultoria, maior empresa independente de planejamento financeiro do centro-oeste. Faz palestras sobre diversos assuntos ligados a economia e finanças.