O que é essa tal “pílula do câncer” milagrosa que apareceu nas notícias?

Um químico aposentado, pesquisador da Universidade de São Paulo, tem estudado uma substância que pode ajudar a combater o câncer. Ela se chama fosfoetanolamina. Essa história virou notícia porque, em pesquisas feitas no laboratório, o novo “remédio”foi muito eficiente na hora de combater os tumores.

Então esse remédio pode salvar vidas?

Pode mesmo, mas tem um detalhe: ele ainda não foi testado em seres humanos. Por enquanto, as pesquisas só usaram tecidos humanos, mas em laboratório. Então, não se pode dizer que se trata mesmo de um remédio.

Ué, mas por quê?

Porque um remédio tem que passar por uma série de outros testes. Por exemplo, ser testado em pessoas. Isso ainda não aconteceu porque não se sabe se ele é seguro para os seres humanos. Ainda precisam ser feitos testes.

Mas eu vi que tem gente que conseguiu o remédio. Como?

Verdade, Algumas pessoas entraram na justiça para obrigar a USP a fornecer a substância a pacientes com câncer. O problema é que a universidade não tem a capacidade de produzir o “remédio” em larga escala.

E o que precisa ser feito para que esse remédio seja vendido na farmácia?

Muitas pesquisas ainda precisam ser feitas, para saber se essa substância funciona mesmo, se ela é segura para nós, quais são os efeitos colaterais e mais um monte de coisas. E, segundo a universidade afirmou, seria necessário que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária ajudasse a fazer os testes necessários. O jeito agora, é esperar para saber se esse possível remédio é mesmo tão milagroso assim.