Entenda o vazamento das conversas de Romero Jucá

Texto: Ariadne Bognar
Imagem: Antonio Cruz/Agência Brasil

Quem é Romero Jucá?
Ele está sem seu terceiro mandato como senador, é o novo ministro do planejamento do governo de Michel Temer e é investigado na Operação Lava Jato.

Porque estão falando tanto sobre ele?
É que foram divulgados áudios entre ele e Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, empresa controlada pelaPetrobras, em que ele sugeria um acordo para parar a Operação Lava Jato.

Como esses áudios foram divulgados?
O material foi gravado de forma oculta em março, antes da votação do impeachment da Dilma Rousseff na Câmara. As conversas somam 1h15 e estão em poder da procuradoria -geral da república. A divulgação do conteúdo das conversas foi feita pelo jornal Folha de S.Paulo.

O que mais há de importante nos áudios?
Um dos trechos mais importantes mostra Jucá e Machado discutindo um acordo que existiria entre o STF, os políticos e outros grupos. Isso é grave porque levanta a suspeita de que o impeachment de Dilma aconteceu para impedir que a Lava Jato continue a investigar e chegue nos políticos do PMDB e PSDB. O acordo envolveria a classe política e até mesmo o Supremo Tribunal Federal. Machado cita o presidente interino Michel Temer como “solução mais fácil” para controlar o governo e evitar as investigações em caso de impeachment de Dilma.

Algum ministro do STF foi citado?
Não. Mas um dos áudios mostra que Jucá procurou ministros do STF e obteve respostas negativas sobre a chance de Lava Jato “parar”, enquanto Dilma estivesse no poder.

Jucá já se manifestou a respeito das gravações?
Ele nega ter conversado com Machado sobre parar as investigações de corrupção. “Aquela conversa não era sobre um pacto sobre a Lava Jato. É sobre economia, para tirar o Brasil da crise”, alegou o ministro. Mas a Folha de S.Paulo divulgou os áudios completos, que mostram que a conversa entre os dois não era sobre economia

O que pode acontecer com Jucá?
Ainda não está claro. Seus defensores alegam que Jucá não fez nada de ilegal. A oposição afirma que o processo de impeachment estaria “viciado” porque foi feito para parar a Lava Jato e salvar políticos corruptos. Como Jucá já estava sendo investigado pela Lava Jato, é provável que esses áudios sirvam para incriminá-lo em acusações de corrupção. O presidente interino resolveu exonerar (demitir) Jucá do cargo de ministro. 


Saiba mais: 

Folha: Em gravações, Romero Jucá fala em pacto para deter Lava Jato
O Globo: Em gravações, Jucá fala em pacto para deter Lava Jato
G1: Romero Jucá classifica gravação como banal