Entenda o atentado na Turquia

Texto: Ariadne Bognar
Imagem: Agência Brasil

Ontem vi na TV que aconteceu um atentado na Turquia. O que houve? 

As autoridades turcas disseram que três pessoas chegaram ao aeroporto armadas com fuzis AK-47 e trocaram tiros com policiais antes de se explodirem. A primeira explosão foi no saguão de desembarque e as outras duas na entrada do embarque. Pelo menos 41 pessoas morreram – ao menos 13 são estrangeiros: cinco sauditas e dois iraquianos, além de pessoas da China, Jordânia, Tunísia, Uzbequistão, Irã e Ucrânia – e 239 ficaram feridas, depois de várias explosões no aeroporto internacional Mustafa Kemal Atatürk, em Istambul, o maior da Turquia. Este é o maior atentado do país desde 2003 e o quinto em um ano.

Isso foi coisa do Estado Islâmico? 

Ainda não se sabe o grupo terrorista foi o responsável. Isso está sendo investigado.

Então, quem poderia ser o responsável pelo ataque?

A Turquia vem enfrentando tensões há décadas. Um das principais é com os curdos, um povo que reivindica (diz que é seu) um território que faz fronteira com a Turquia. Os curdos também vivem no Iraque e em outros lugares, mas não têm um país próprio. Por isso, lutam por territórios. Outro problema é a guerra civil na Síria, um país que faz fronteira com a Turquia. Os turcos se envolveram nesse conflito desde o começo, apoiando o grupo que quer derrubar o ditador Bashar Al-Assad.  

Ouça nosso áudio sobre o assunto:

Aconteceram outros ataques na Turquia?

Sim.  O Partido Trabalhista do Curdistão explodiu um carro em Istambul no ano passado. O Estado Islâmico também fez atentados recentemente, no mês de março de 2016.

O que vai acontecer? O país parou?

Não. As autoridades turcas estão investigando os terroristas para tentar descobrir se estavam ligados a algum grupo. Mas o aeroporto de Istambul já foi reaberto e está funcionando.


Saiba mais:

BBC: Bombas em metrópoles e alta tensão: entenda a instabilidade na Turquia
Folha: Atentado com bombas deixa ao menos 41 mortos no aeroporto de Istambul