Está em todo lugar, não é? A história da vereadora Marielle Franco, que morreu. O que aconteceu?

A vereadora da cidade do Rio de Janeiro pelo PSOL, Marielle Franco, foi assassinada a tiros na noite de quarta (15/3). Ela saía de um evento em um carro e foi alvejada por um atirador que estava em outro carro. Além da parlamentar, o motorista Anderson Pedro Gomes também morreu.

Por que ela foi assassinada?

Ainda não se sabe o motivo exato. Mas suspeita-se de que ela foi alvo de milícias ou PMs corruptos do Rio de Janeiro. Marielle Franco fazia diversas denúncias a respeito da violência da Polícia Militar, especialmente no Acari, bairro onde morava. Mas, como eu já disse, ainda não sabemos a razão exata. A Polícia Civil vai investigar o caso.

Não entendi: por que PMs e milícias iam querer mata-la?

Em primeiro lugar, por causa das denúncias que ela fazia. A vereadora também era relatora da comissão da Câmara que vai fiscalizar a intervenção federal e militar na capital fluminense.

Eu vi que ela era defensora de direitos humanos, não é? Então não dá pra reclamar, não é? Ela defende os bandidos…

Vamos por partes. Defender os direitos humanos não é defender bandidos. É defender o direito de todos os seres humanos de serem tratados com dignidade, respeito e acesso à justiça. Muita gente espalha essa mentira por aí, de quem luta pelos direitos humanos não quer que nenhum criminoso seja punido. É mentira.

Mas se ela era contra a PM, como vão investigar o assassinato?

Outra falsidade que estão espalhando. O fato de ela criticar a atuação truculenta da PM não quer dizer que ela seja contra a polícia militar. Apenas que exigia que a organização respeitasse os direitos de pessoas das favelas e de negras e negros.

Esse negócio de ficar indignado só porque ela vereadora não é injusto? Afinal, tem branco morrendo por aí também e ninguém faz protesto nem nada…

Essa é outra meia-verdade. De acordo com o Atlas da Violência 2017, a cada 100 pessoas mortas violentamente no Brasil, 71 são negras. Então, é possível dizer que negras e negros são os que mais sofrem com a violência. E Mariella Franco era negra.