Vi a notícia de que teve uma fase nova da Operação Carne Fraca. O que aconteceu?

A polícia federal deflagrou (iniciou) hoje a Operação Trapaça, que faz parte do conjunto de investigações chamado de Carne Fraca. Segundo a PF, existem indícios (suspeitas) de que empresas que vendem e produzem carne subornaram políticos e autoridades para escapar de vigilância e de multas.

O que a polícia federal está investigando agora?

Está investigando se houve fraude nas análises de cinco laboratórios credenciados no Ministério da Agricultura e em testes feitos pela empresa BRF. O esquema, diz a polícia, teria como objetivo ‘mascarar’ os níveis da bactéria salmonella nas carnes enviadas para análise. O presidente da BRF, Pedro de Andrade Faria, foi preso.

Que empresa é essa, BRF? Não conheço.

Ela é dona de grandes marcas como Sadia e Perdigão.

O que eles estavam tentando esconder?

A ideia era produzir relatórios que diziam que o nível de salmonella encontrada nas carnes era menor do que o real.

E por que queriam fazer isso?

Para conseguir exportar as carnes. Outros países não iriam aceitar receber os produtos com os níveis de salmonella que as carnes tinham.

Quando eles fizeram esse esquema?

De acordo com a PF, as fraudes foram cometidas entre 2012 e 2015.

O que é a salmonella? Ela é perigosa?

Ela é uma bactéria que vive nos intestinos dos animais. Segundo especialistas, ela é muito comum e não é perigosa para os humanos se a carne for cozida de maneira correta (assada, ensopada, frita). As altas temperaturas do fogo eliminam a salmonella das carnes.

Quer dizer que a gente estava comendo carne contaminada?

Não. Quer dizer que os níveis de salmonella declarados pela BRF eram menores do que o real. Mas, segundo especialistas, não havia risco para a nossa saúde.