Protestos contra o governo e a favor: Quem ganhou a batalha?
Oi pessoal, tudo bem? O Me Explica está de volta para falar sobre os protestos que a gente viu nos últimos dias. Mas antes de começar, não esquece de se inscrever no nosso canal! E sigam a gente no Instagram para receber nossos conteúdos exclusivos!
Bom, vamos lá.
Nesses últimos dias, as ruas do Brasil estão muito movimentadas. Muita gente foi às ruas para fazer protestos contra o governo Bolsonaro. E bastante gente fez a mesma coisa para apoiar o governo. Mas o que isso tudo quer dizer? O que esses protestos vão mudar no Brasil? Alguém ganhou ou perdeu? Bom, vamos com calma.
Você provavelmente já sabe que no dia 15 de maio, pessoas protestaram contra os cortes na educação em mais de 200 cidades em todos os estados do Brasil. O governo tinha anunciado que iria congelar o dinheiro de bolsas de estudo e de verbas para universidades. Por isso, estudantes, professores e funcionários de universidades e escolas protestaram.
O Bolsonaro não gostou e disse que eles eram “idiotas úteis”. Ou seja, que eles estavam sendo manipulados. Mas pelo que a gente viu na imprensa, apesar de ter partido político participando dos protestos, eles não estavam comandando as coisas.
Bom, aí quem é a favor do governo resolveu responder. No dia 26, um domingo, quem é pró-Bolsonaro foi às ruas para defender o presidente e os seus ministros, principalmente o Sergio Moro, da Justiça, e o Paulo Guedes, da Economia. Todos os estados do Brasil tiveram protestos, mas o número de cidades foi menor.

Protestos contra o governo e favor: quem ganhou?

protestos contra o governo educação Bolsonaro poliítica Brasil Paulo Guedes Sergio Moro estudantes professores

Wikimedia Commons

Tá, mas e aí? O que isso tudo quer dizer? Quem ganhou?
É muito difícil dizer se alguém ganhou ou perdeu. Essas coisas são complexas e não se resolvem em uma semana. A política é bastante complicada.
O que dá para dizer é o seguinte: os protestos contra os cortes na educação foram bastante grandes e mostraram que tem bastante gente insatisfeita com o governo. Por outro lado, o governo convenceu menos gente a protestar a seu favor (isso existe?), mas também não dá pra dizer que foi um fracasso.
Eu vi vários analistas tentando prever o que os protestos a favor do governo significam para a famosa reforma da Previdência. Isso também é muito difícil de dizer e não depende só de quanta gente foi às ruas. Depende bastante da capacidade do governo de negociar com os seus aliados e com os seus opositores.
Até agora, pelo que a gente tem visto, a coisa está travada. O presidente da Câmara, o Rodrigo Maia, não tem gostado das propostas do governo Bolsonaro. E o presidente não parece estar muito disposto a sentar na mesa para conversar.
Aí você vai me perguntar: mas está certo isso? O presidente deveria ter que negociar com esses políticos das antigas, que fazem as coisas de um jeito tão ultrapassado? Esse é um assunto para outro vídeo.
Mas, por enquanto, o que eu digo é: para conseguir aprovar grandes mudanças no País de maneira democrática, todos os governos tiveram que negociar. Provavelmente não vai ser diferente com esse governo.
O vídeo está acabando e eu não respondi à pergunta que deve estar na sua cabeça: quem ganhou a batalha dos protestos? Protestos sozinhos não ganham batalhas nem guerras. Eles mostram o que a sociedade está pensando e ajudam a pressionar os políticos a tomarem atitudes.
A gente se vê de novo na semana que vem.