Hoje, vou falar sobre os protestos que estão acontecendo há algumas semanas em Hong Kong. Os cidadãos de Hong Kong estão protestando desde o dia 31 de março. Ou seja, faz quatro meses. Por que as pessoas estão protestando? O que Hong Kong tem a ver com a China? O que pode acontecer? Você vai saber agora. 

Como começaram os protestos em Hong Kong?

No começo, os protestos eram contra um projeto de lei que permitia que cidadãos de Hong Kong fossem extraditados para a China. Ou seja, essas pessoas poderiam ser mandadas à China para serem julgadas. O povo de Hong Kong acreditava que essa lei poderia ser usada para perseguir pessoas que criticassem o governo chinês, não só criminosos. A chefe executiva de Hong Kong suspendeu o projeto de lei, mas os protestos continuam.

Por que o povo de Hong Kong ainda está protestando?

Apesar de o projeto ter sido suspenso, o povo de Hong Kong quer que ele seja completamente cancelado. Além disso, pedem que as pessoas que foram presas durante os protestos sejam soltas, que o governo pare de dizer que as manifestações são “revoltas”, a investigação da violência da polícia e que todos tenham o direito de votar no território. 

O que Hong Kong tem a ver com a China?

Para entender esse caso todo melhor, você precisa saber que Hong Kong não é um país. É um território que pertence à China. Até 1997, Hong Kong era uma colônia do Reino Unido. A partir de 97, o Reino Unido “devolveu” o território aos chineses. Mas Hong Kong não simplesmente virou uma parte da China. Um acordo foi feito para manter várias instituições que já existiam por lá e evitar que a China dominasse completamente a vida política de Hong Kong. O território tem seu próprio parlamento, tem liberdade de expressão, um judiciário separado do chinês. Isso ficou conhecido como o sistema de “um país, dois sistemas”. Ou seja, Hong Kong teve liberdade por vários anos. Até agora.

O que pode acontecer?

As coisas tem ficado cada vez mais tensas por lá. A polícia está ficando cada vez mais violenta e o governo começou a usar a palavra “terrorismo” para falar dos protestos. O aeroporto de Hong Kong foi fechado essa semana e alguns voos foram cancelados porque uma multidão de manifestantes têm protestado por lá, entregando panfletos para os visitantes estrangeiros e colocando faixas contra o governo chinês e o governo local. No começo, os protestos no aeroporto foram pacíficos, mas depois que os manifestantes bloquearam uma área de embarque, a polícia usou gás lacrimogêneo e gás pimenta para dissipar a multidão. Nos últimos dias, o governo da China mandou tropas do exército para uma área perto da fronteira com Hong Kong. Ainda não se sabe se o exército chinês vai entrar no território para reprimir os protestos. No mínimo, é uma ameaça. 

Se vocês tiverem dúvidas ou sugestões, escrevam aí na caixa de comentários. E não esqueçam de seguir o Me Explica! A gente explica os principais assuntos do momento de um jeito simples e completo. Até mais! 

Saiba mais: 

https://www.theguardian.com/world/2019/aug/13/what-do-the-hong-kong-protesters-want

https://www.theguardian.com/world/2017/jun/30/we-wanted-democracy-after-20-years-of-chinese-rule-is-hong-kongs-dream-over

https://www.theguardian.com/world/2017/jun/29/security-lockdown-in-hong-kong-as-xi-jinping-marks-anniversary-of-handover

https://www.theguardian.com/world/2017/jun/27/hong-kong-20th-anniversary-handover-china-questions-q-and-a

 

 

Tags